Conteúdos

Quanto ganha um advogado recém-formado

advogada recém formada

O curso de Bacharelado em Direito é um dos mais tradicionais e, por isso, tem sido cada vez mais escolhido por muitos jovens para exercício de uma profissão principal que traz grandes retornos, já que o mercado de trabalho é abrangente, com inúmeras possibilidades, tais como concursos públicos para magistratura ou analistas/técnicos judiciários e advocacia privada ou pública.

Além da tradicionalidade e importância da profissão jurídica no país, especialmente os jovens advogados podem ser muito bem remunerados

Mas você sabe quanto ganha um advogado recém-formado? Para você conhecer melhor o mercado jurídico e quais as remunerações a se esperar, confira o post a seguir. 

Piso salarial de um advogado em 2020 (definido por lei)

A remuneração de um advogado recém-formado dependerá do formato de atuação profissional, ou seja, se contratado em um escritório ou departamento jurídico de empresa, ou como autônomo (dono do próprio escritório).

Àqueles que prestam serviços vinculados a uma empresa ou escritório, em alguns estados do país há regulamentação do piso salarial por lei estadual, que deve (ou deveria) ser observado e respeitado na prática profissional dos advogados contratados.

A regulamentação do piso salarial deve ser respeitada pelos empregadores, a fim de preservar e garantir a valorização da categoria profissional, principalmente em relação à atuação dos jovens advogados, permitindo que um maior número de bacharéis em direito possam exercer a profissão privada de forma qualificada e eficiente no quesito financeiro.

Apesar disso, não há isonomia salarial no Brasil, sendo distinto o piso salarial de estado para estado, conforme explicaremos mais adiante.

Por sua vez, não são todos os estados que regulamentam o piso salarial dos advogados por lei, a maioria estabelece o piso ético de remuneração, sendo que alguns sequer regulamentam um mínimo a ser pago aos que são contratados, ficando de livre negociação pelos empregadores. 

O que é piso ético?

O piso ético é definido pelo Conselho Seccional da OAB de cada região, por meio de Resolução publicada anualmente, ou por Normas Coletivas de Trabalho regulamentadas pelo Sindicato Regional.

Diferente do piso salarial estabelecido por lei, o piso ético é uma sugestão de remuneração aos advogados contratados no âmbito privado, considerando a complexidade do exercício da profissão e importância para a sociedade, evitando a desvalorização profissional.

Alguns estados, como Rio Grande do Sul, Espírito Santo e Amapá, não possuem regulamentação de piso salarial, sendo de livre negociação dos empregadores.

Salários de diferentes áreas

Apesar de existirem normas que definem o piso salarial ou ético dos advogados, os jovens que estão ingressando na carreira devem ter o conhecimento de que cada área de atuação poderá ser melhor remunerada em detrimento de outra.

A área de atuação poderá ser determinante para uma remuneração maior ou menor, tanto no setor público quanto no privado. 

Dessa maneira, se você está buscando uma área que lhe dê retorno, poderá privilegiar-se com uma análise estratégica do mercado, vislumbrando quais ramos possuem demanda e de que forma poderá adentrar no determinado nicho escolhido.

Vale lembrar que o advogado deve buscar trabalhar com algo que tenha afinidade, fator que abrange muito mais que retorno financeiro, pois a vida do profissional jurídico é auxiliar pessoas que estão com problemas, sendo altamente recomendável atuar com algo que seja prazeroso diariamente. 

Dito isto, destaca-se, também, que muitas formas de atuação do advogado estão surgindo com o avanço da sociedade, por exemplo, o direito digital. 

Assim, uma nova oportunidade tem sido bastante adotada pelos jovens advogados: a autonomia profissional. 

Isso porque tradicionalmente a advocacia é exercida por profissionais formados há anos e os recém-formados não conseguiam competir no mercado. Todavia, com o avanço da tecnologia, especialmente em tempos de pandemia, a advocacia autônoma e os próprios escritórios de jovens advogados tem sido plenamente possível, garantindo retorno financeiro em curto período de tempo.

Certamente, a atuação autônoma não exige conhecimento técnico tão somente, mas muito além, como marketing jurídico, gestão empresarial e noção de empreendedorismo, até mesmo porque a advocacia é um negócio. 

Junto a isso, a escolha de um nicho estrategicamente, aliada a uma área que você tenha afinidade, pode lhe trazer muitos frutos. Já pensou ser dono do próprio negócio, atuando com o que mais possui afinidade? 

Além do mais, você pode buscar parcerias com  agências de marketing jurídico, para o fim de criação de sua marca e de autoridade nas mídias digitais, sendo facilmente conhecido no mercado por prospectos clientes.

Mas voltando às áreas mais remuneradas, alguns nichos do direito podem ser escolhidos de forma que lhe tragam resultados rapidamente, você sabia?

As áreas melhor pagas são empresarial e tributária.

Neste momento, é uma boa alternativa partir para atuação consultiva, além da contenciosa empresarial, voltada às empresas exclusivamente digitais, como as startups que vem crescendo cada vez mais.

Os programas de compliance são dirigidos por advogados especializados no ramo empresarial, e vem se tornando de grande apreço pelos empresários, já que a redução de custos e prevenção de riscos são estratégias voltadas ao próprio crescimento da empresa.

A remuneração pode alcançar facilmente o mínimo de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) mensais, aos advogados empresariais.

Neste ponto, destacamos a recente Lei Geral de Proteção de Dados – LGPD, que entrou em vigor no mês de setembro de 2020. Muitos advogados estão buscando orientar empresas para se adequarem às novas regras, pois todo tipo de negócio será afetado. 

Ou seja, é um retorno financeiro rápido, pois poucos profissionais estão especializados em direito digital e nas novas formas de trabalhar e lidar com dados pessoais na era tecnológica, onde fazemos tudo online.

Em simultâneo à área empresarial, o setor tributário traz grandes retornos financeiros, já que envolve dívidas e cobranças fiscais, preocupações que passam por inúmeras pessoas tanto físicas quanto jurídicas. 

Também ressaltamos a consultoria tributária voltada ao planejamento financeiro, a fim de orientar e auxiliar empresas a pagarem os tributos corretamente e, ainda, para reaver valores pagos indevidamente, já que existem inúmeras leis em constantes mudanças no ramo fiscal. 

O advogado imobiliário é uma área promissora, também. 

Com a retomada da economia do país, os especialistas em contratos de locação, compra e venda, além de outras relações negociais no setor imobiliário, tanto às pessoas físicas quanto às jurídicas, pode trazer retornos financeiros muito interessantes. 

É também uma área propícia para atuação extrajudicial, na qual gera resultados rápidos que independem do trâmite burocrático do poder judiciário. 

Vale a pena pensar na referida área. 

A área trabalhista, na sequência, vem se expandindo, principalmente após a reforma trabalhista (Lei nº 13.467/2017). Mais que isso, a especialização consultiva tem sido um grande diferencial aos jovens advogados, aplicando os programas de compliance nas empresas para preservar direitos dos trabalhadores.

Advogados recém-formados podem ser remunerados de R$ 3.000,00 (três mil reais) a R$ 5.000,00 (cinco mil reais) mensais na área trabalhista, como contratados, podendo expandir ainda mais no formato autônomo.

O contencioso cível, por fim, abrange direito do consumidor, familiar e cível em geral, possibilitando uma remuneração vantajosa ao recém-formado, entre R$ 3.000,00 (três mil reais) a R$ 7.000,00 (sete mil reais).

Salário médio de um advogado recém-formado

Conforme destacamos ao longo deste post, a remuneração do advogado recém-formado tem algumas variáveis, que dependem da forma de atuação e área escolhida. 

Alguns estados regulamentam o piso salarial por lei estadual, enquanto outros dispõem o piso ético, quando não há legislação específica. Porém, isso não significa que os salários são imutáveis. 

Quanto contratados em escritórios ou departamentos jurídicos, o tempo de formação contribui para o aumento do salário, também. 

De forma generalizada, o salário médio de um recém-formado, ou seja, para advogado júnior, pode variar entre R$ 1.500,00 (um mil e quinhentos reais) a R$ 7.000,00 (sete mil reais). 

Lembrando que a área de atuação é um diferencial do salário-médio, bem como a região do exercício da profissão.

Média salarial de um advogado bem-sucedido

A maior preocupação dos jovens advogados é: será que terei sucesso na advocacia? Quanto posso ser remunerado na esfera privada?

Neste ponto, vale salientar que o exercício da advocacia exige paciência e muito esforço, já que a competitividade é grande no mercado, haja vista que somam mais de um milhão de profissionais ativos no país todo. 

Porém, a análise estratégica de nichos promissores no mercado, além, claro, de considerar a afinidade que você possua com certas áreas, pode lhe trazer grandes retornos pessoais e financeiros.

Um advogado bem-sucedido por chegar a ser remunerado em R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) por ano.

Exatamente, a advocacia pode lhe trazer grandes faturamentos. 

No entanto, conforme destacamos neste post, irá depender da área de atuação, do tempo de carreira e do formato de trabalho (se contratado, associado, autônomo e etc).

Salários por estado em 2020

Os salários dos advogados são distintos de estado para estado. 

Conforme mencionamos no início, alguns regulamentam o piso salarial por lei estadual, outros dispõem o piso ético pelo próprio Conselho Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil ou pelo Sindicato Regional. 

Confira a seguir o piso salarial definido por lei em alguns estados:

Estado8 horas diárias/40 horas semanaisLei estadual
Distrito FederalR$ 4.389,82Lei Distrital 5.368, de 9 de julho de 2014 (Reajuste em 2020 por Resolução)
Mato Grosso do SulR$ 2.867,84Lei nº 4948, de 16 de dezembro de 2016 (Reajuste em 2020 por Resolução)
Rio de JaneiroR$ 3.158,96Lei 7.530 de 09 de março de 2017 (Reajuste em 2020 por Resolução)
SergipeR$ 4.412,13Lei nº 8.241/2017 (Reajuste em 2020 por Portaria)

Agora, veja alguns estados que sugerem o piso ético:

EstadoPiso ético para 8 horas diárias/ 40 horas semanaisResolução/Portaria
ParanáR$ 3.850,09Resolução nº 01, de 05 de março de 2020.
Santa CatarinaR$ 2.527,20Convenção Coletiva de Trabalho de 01 de maio de 2019 a 31 de abril de 2020)
São PauloR$ 3.142,19 (de um até dois anos de advocacia)Valor sugerido pelo Sindicato dos advogados do Estado.

Percebe-se que o salário não é equânime no país, existindo diversos fatores que serão diferenciais para a remuneração final.

Setores que mais contratam 

A atuação da advocacia pode ser tanto pública, mediante ingresso por aprovação em concursos públicos, quanto privada, por contratação no regime de advogado associado ou empregado, com registro em carteira de trabalho. 

A atuação no setor público, falaremos mais adiante. 

Quanto à advocacia privada, além das áreas tradicionais, como direito empresarial, tributário, consumidor, trabalhista, cível, família e sucessões, existem áreas recém surgidas com o avanço da sociedade.

Antes de explicarmos quais são, importante mencionar que a área do direito é dinâmica, pois sofre constantes alterações, acompanhando as mudanças sociais. Um exemplo prático é a expansão da tecnologia.

Principalmente em tempos de pandemia, o formato de trabalho mudou totalmente, tornando-se digital, se não exclusivamente, ao menos parte da jornada de trabalho é exercida online. 

Assim, a área do direito digital surgiu e com ela diversos campos podem ser abraçados pelos jovens advogados, como consultorias a influencer digitais, especialização em contratos para fins de prestação de serviços digitais (lançamentos de infoprodutos, por exemplo).

Junto a isso, os departamentos jurídicos de empresas de porte pequeno, médio e grande estão necessitados de advogados para planejamento interno (financeiro, ambiental, tributário, trabalhista, consumidor, dentre outras), bem como para adequação a um novo formato de trabalho, inserindo jornadas de trabalho em home office, além de regularização no tratamento de dados pessoais, em conformidade com a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

O setor tributário também é um dos que mais contrata advogados, tendo em vista que as leis tributárias se alteram com muita frequência, motivo pelo qual os profissionais jurídicos têm grande relevância para controle dos tributos que necessitam ser pagos, evitando pagamentos equivocados, tanto a maior quanto a menor, e prejuízos financeiros à empresa.

Percebe-se que a advocacia é abrangente e vem aumentando a busca pela prevenção de riscos, motivo pelo qual a atuação extrajudicial e consultiva é bastante promissora aos jovens advogados. 

Nessa linha, a mediação, conciliação e arbitragem, como formas alternativas de resolução de conflitos, tem sido visadas por advogados nas mais diversas áreas, haja vista que o retorno financeiro e também a solução do problema do cliente são muito mais rápidos. 

Além disso, a atuação extrajudicial nos formatos alternativos citados acima desafogam o poder judiciário, oportunizando um campo enorme de atuação que ainda não possui tantos profissionais. 

Salários por tipo e porte de empresa

Pois bem, você leu todo o conteúdo e decidiu trabalhar em uma empresa, qual salário esperar?

Você precisa ter em mente que o tipo e porte da empresa são fatores determinantes para definição do salário a ser recebido.

Um advogado em uma empresa de pequeno porte

Júnior: varia de R$ 2.000,00 (dois mil reais) a R$ 5.000,00 (cinco mil reais)

Pleno: varia de R$ 3.000,00 (três mil reais) a R$ 7.000,00 (sete mil reais)

Sênior: varia de R$ 4.500 (quatro mil e quinhentos reais) a R$ 12.000,00 (doze mil reais)

Um advogado em uma empresa de médio porte

Júnior: varia de R$ 3.000,00 (três mil reais) a R$ 5.000,00 (cinco mil reais)

Pleno: varia de R$ 3.300,00(três mil e trezentos reais) a R$ 6.000,00 (seis mil reais)

Sênior: varia de R$ 6.000,00 (seis mil reais) a R$ 18.000,00 (dezoito mil reais)

Um advogado em uma empresa de grande porte

Júnior: varia de R$ 3.000,00 (três mil reais) a R$ 6.000,00 (seis mil reais)

Pleno: varia de R$ 4.000,00 (quatro mil e trezentos reais) a R$ 11.000,00 (onze mil reais)

Sênior: varia de R$ 6.000,00 (seis mil reais) a R$ 20.000,00 (vinte mil reais)

As variáveis, tanto às empresas de pequeno, médio quanto às de grande porte, dependem do tempo de carreira e área de atuação.

Salário de advogados concursados

Os advogados concursados também são bem remunerados, o que causa bastante interesse pelos jovens e recém-formados. 

A procuradoria municipal, estadual ou federal, são cargos almejados por muitos advogados. A atuação é basicamente atuar em prol do poder público. 

Os salários dependem do cargo, novamente, se municipal, estadual ou federal. Os dois primeiros alcançam salários entre R$ 10.000,00 a R$ 15.000,00, dependendo de cada região pode até ser superior a estes montantes.

Já o procurador federal pode alcançar um salário de R$ 20.000,00 (vinte mil reais), dependendo da região é possível remuneração superior.

A defensoria pública é a advocacia voltada às pessoas que não possuem condições de contratar advogados particulares, sendo dever do Estado fornecer assistência judiciária gratuita aos cidadãos com impossibilidades financeiras. 

Os defensores públicos têm salário variável, de acordo com a região do país, podendo chegar a R$ 12.000,00 (doze mil reais) ou mais.

Percebe-se que os concursos públicos para advocacia são bem remunerados, oportunizando uma carreira estável a muitas pessoas.

Adicionais salariais

A remuneração dos advogados é conhecida pelo termo “honorários advocatícios”. 

Os honorários se distinguem em contratuais e sucumbenciais. 

Os contratuais são aqueles estipulados por contrato escrito com o cliente final. Já os sucumbenciais são os fixados pelo magistrado, em processos judiciais, em favor do advogado da parte vencedora.

Todavia, quando o advogado é contratado pelo regime celetista, geralmente tem um salário fixo, podendo receber os honorários de sucumbência referentes às causas que diretamente trabalhar. 

A depender de cada empresa, alguns benefícios adicionais podem ser pagos ao advogado contratado, como horas-extras, ajudas de custo (alimentação e transporte), plano de saúde, adicionais noturnos, se for o caso, dentre outros.

Já os advogados contratados em regime associado, não há vínculo de emprego e costumeiramente têm remuneração proporcional às demandas que trabalha, ou seja, relativa aos honorários sucumbenciais. 

Apesar disso, não é raro que advogados em regime de associação recebam salário fixo e não tenham direito aos de sucumbência (o que é ilegal).

Quando o advogado trabalha para empresa, em departamento jurídico, é possível o pagamento de adicionais salariais como plano de saúde, ajuda de custo de transporte e alimentação, dentre outros, conforme destacamos anteriormente. 

Assim, neste quesito, os advogados contratados têm maiores vantagens. 

Evolução salarial ao longo da carreira

Certamente, quando maior o tempo de carreira do profissional, maior será a remuneração. 

O advogado júnior, por exemplo, se caracteriza quando a formação estiver dentre 1 a 3 anos. 

O advogado pleno é de 4 a 7 anos e o sênior é de 7 anos ou mais.

Assim, na medida em que há evolução do profissional jurídico, o salário deve acompanhar. 

Lembrando que a experiência prática e especializações ou títulos acadêmicos contribuem para a formação do salário.

Tendências e impacto do mercado jurídico no salário

Anteriormente, citamos algumas áreas promissoras no direito, que podem garantir retornos financeiros rápidos e muito significativos, especialmente aos jovens advogados. 

Então, algumas tendências do mercado podem lhe trazer um salário maior. É o caso do compliance, ou consultivo empresarial, bem como do direito digital, que abrange uma série de questões que necessitam ser adequadas, tanto às pessoas físicas quanto jurídicas.

Dessa forma, ficar de olho nas tendências será um grande diferencial. 

Ao mesmo tempo, existem impactos do mercado jurídico no salário. 

Áreas que têm muita demanda, mas que também possuem muitos advogados atuando, podem acarretar em uma redução da remuneração, já que o mercado é mais competitivo. 

Em contrapartida, o impacto pode ser benéfico ao salário do advogado quando estiver acompanhado de uma área promissora, que tende a obter grande clientela. 

Média salarial no exterior (por país)

Não podemos esquecer de mencionar que o direito é necessário para o mundo todo, motivo pelo qual há fácil acesso à internacionalização, principalmente para atuação do advogado. 

Se tornou ainda mais fácil a atuação internacional com a expansão da tecnologia na sociedade. 

Mas quanto recebe um advogado no exterior?

Como no Brasil, no exterior também existem variáveis de salário, pois depende da área de atuação, tempo de carreira e a região.

Nos Estados Unidos não é diferente, o salário do advogado varia muito de acordo com cada região.

Na Flórida, por exemplo, o salário do advogado iniciante gira em torno de US$ 1.300,00 (um mil e trezentos dólares).

Por outro lado, em Nova York o salário pode chegar a US$ 167 mil dólares. 

Por sua vez, em Portugal, o advogado iniciante recebe em torno de € 800,00 e € 1000,00 por mês e um profissional com mais tempo de carreira pode alcançar € 8.000,00 por mês.

Percebe-se que é muito variável, porém, é uma profissão que permite uma remuneração desejável com certo tempo de carreira.

Dicas para se destacar no mercado de trabalho

Por todo exposto, para alcançar uma carreira renomada, o jovem advogado deve planejar a atuação, principalmente com ciência de qual é o patamar que deseja alcançar.

Se você deseja trabalhar para um escritório ou uma empresa, é importante buscar especializações, a fim de estar sempre atualizando os conhecimentos técnicos. O advogado nunca para de estudar, ainda mais porque a sociedade sofre alterações constantemente. 

Veja também, matéria completa sobre a importância do nicho na advocacia.

Por outro lado, se você deseja ter o próprio negócio, ainda mais porque pode obter remuneração muito maior em detrimento aos advogados contratados, deverá ter ciência de que tudo dependerá do seu próprio esforço. 

A principal dica, somada às especializações, claro, é focar na gestão empresarial e no marketing jurídico

A 3MIND oferece um curso online gratuito para advogados aprenderem os fundamentos básicos do Marketing Jurídico Digital. Inscreva-se!

Especialmente porque estamos em uma era da informação, na qual a tecnologia facilita muito o acesso de diversas informações, assim, o profissional da advocacia deve utilizar esta ferramenta a seu favor, tornando-se conhecido, criando autoridade e facilitando o acesso de clientes e pessoas interessadas em serviços jurídicos. 

Por fim, não menos importante, a escolha do nicho estrategicamente será um grande diferencial, aliado aos pontos destacados acima, certamente lhe trazendo grandes frutos. 

Plano Nacional de Apoio ao Jovem Advogado

O Plano Nacional de Apoio ao Jovem Advogado nasceu por meio de normativa aprovada pela Ordem dos Advogados do Brasil nacional, que criou ferramentas para facilitar o empreendedorismo de jovens advogados e facilitação da atuação, preservando-os para o exercício da profissão qualificada e com remuneração adequada. 

Com isso, foram aprovados benefícios, como anuidades diferenciadas aos jovens advogados. 

Isso porque, após a inscrição regular no cadastro de advogados no Conselho Seccional da região de atuação, é preciso pagar anuidade para manter-se ativo no mercado. 

Dessa forma, verifique se sua seccional possui vantagens específicas para você que é jovem advogado. 

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário.

[mautic type="form" id="7"]

Receba conteúdos e estratégias atualizadas de Marketing Jurídico gratuitamente!

Sobre o autor
Compartilhe
Oi, Dúvidas sobre Marketing Jurídico?
Suporte 3MIND
Olá, como está?
É um prazer falar com você!!
Qual é sua dúvida?