Mídias Sociais para advogados geram negócios?

Advogado avaliando Marketing Digital em Rede social

Existem dois tipos de mídias que podem ser trabalhadas na estratégia de marketing digital do seu escritório de advocacia: as mídias que a gente procura, nas quais fazemos busca ativa como Google, YouTube e agora os Podcasts, buscadores de uma maneira geral e as redes sociais, Facebook, Instagram, Twitter e Linkedin.

Como especialistas em marketing digital para advogados, fizemos esse conteúdo com base no vídeo Redes sociais geram negócio para advogado, como?, para explicar para os advogados que estão começando a investir em marketing digital qual é a principal diferença entre esses dois tipos de mídia e como trabalhar as redes sociais de maneira assertiva para o seu escritório de advocacia.

Buscadores

Primeiro de tudo é preciso entender que faz todo sentido olhar com mais carinho para os buscadores do que para as redes sociais. Primeiro porque ninguém entra nas redes sociais procurando um advogado, por outro lado os usuários usam o Google e o YouTube para pesquisar a solução dos seus problemas e os Podcasts para se aprofundar em assuntos de interesse próprio.

Por isso esses canais digitais devem receber a maior parte da sua atenção, por meio da produção de conteúdo, vídeo e/ou gravação de podcasts para áreas bem específicas da advocacia, como por exemplo, consultivo trabalhista para indústrias da área moveleira.

Cursos de Marketing JurídicoPowered by Rock Convert

É preciso entregar informação de valor para o mercado da sua área de atuação para colher os resultados como autoridade digital. Com isso, no seu planejamento de marketing digital recomendamos considerar até 80% do seu investimento para os buscadores.

Redes Sociais para Advogados

As redes sociais são uma mídia para experiência e relacionamento com o cliente. Mas muitos advogados questionam que tem amigos que trabalham com joias, por exemplo, e eles vendem pela rede social. A primeira diferença é que o advogado vende um serviço de alto valor agregado e não um produto, como uma joia, e a venda nas redes sociais costuma acontecer até um determinado valor.

Pesquisas mostram que o percentual de venda pelas redes sociais vai até mais ou menos mil reais (considerando o percentual de tomada de decisão sem a necessidade de intervenção humana, acima deste valor reduz-se expressivamente a taxa de conversão) e, com base neste simples comparativo, vale ressaltar que geralmente os serviços de um escritório de advocacia especializado vão bem além desse valor, dificultando ainda mais a |”contratação on-line”.

As redes sociais são uma ferramenta de aproximação, elas precisam levar o usuário para o seu canal de relacionamento seja para o site do seu escritório de advocacia ou WhatsApp para um atendimento mais imediato. Por isso, sugerimos no mínimo 20% do seu investimento e da sua atenção, em seu plano de marketing digital, para as redes sociais.

Remarketing nas redes sociais

Empresas entendem que os usuários demonstram interesse nas redes sociais ou nos canais de busca ativa e colocam um código na sua pesquisa para identificar que essa pessoa que pesquisou determinado assunto é um possível cliente. Com isso o advogado começa a publicar conteúdos na rede social direcionado para essa pessoa. Assim eles atingem as pessoas que já deram alguma demonstração de interesse na sua área de atuação, tendo assim um contato mais qualificado. Mas essa explicação completa fica para um próximo conteúdo!O que achou das nossas dicas para o uso das redes sociais do seu escritório de advocacia? Conta pra gente nos comentários!

Receba conteúdos e estratégias atualizadas de Marketing Jurídico gratuitamente!

Sobre o autor
Compartilhe
Responder
Olá, meu nome é Victor! 😊

Nós já ajudamos mais de 100 escritórios de pequeno a grande porte a construir sua autoridade.

Como podemos lhe ajudar?