Conteúdos

Fachada do escritório de Advocacia: tudo que você precisa saber

Fachada de um escritório de advocacia moderno

Fachadas fazem parte da estrutura de qualquer estabelecimento físico, e os escritórios de advocacia não poderiam ficar de fora. Para que você entenda melhor o processo de escolha e montagem da fachada, destacamos aqui alguns pontos relevantes sobre esse assunto

Porque investir em uma boa fachada

Por conta das restrições de marketing e publicidade impostas aos profissionais do ramo jurídico, esse grupo precisa fazer uso de todos os elementos permitidos, tirando o máximo de proveito de cada situação sempre com muita atenção. 

De nada vale a aparência do escritório de advocacia se a fachada tiver um aspecto descuidado, pois a entrada do estabelecimento faz parte de seu cartão de visitas por fazer parte da identidade visual e ser o primeiro ponto de contato visual do cliente com a empresa. Por essas razões, é interessante que o responsável invista e se preocupe com a criação de uma fachada apropriada, já que é importante que o consumidor tenha a melhor primeira impressão possível.

Para te ajudar nesse processo veja matéria completa sobre a importância da logo de advogado.

Muitas pessoas ignoram a importância de uma boa fachada, mas a realidade é que esse ambiente faz parte da construção da marca e influencia na maneira como a firma é vista, tendo grande potencial para ser uma ferramenta para atrair ou afastar possíveis clientes.

Componentes necessários na fachada de um escritório

Identidade visual

Identificada como “o conjunto de elementos formais que representa visualmente, e de forma sistematizada, um nome, ideia, produto, empresa, instituição ou serviço”, esse elemento amplo tem como principal função ser o ponto de contato visual do usuário com a marca criada. 

Assim, é indispensável que haja uma correlação entre suas diferentes partes, como nome, símbolos, tipografia e cores que serão usadas em todos os produtos, objetos e ambientes relacionados à empresa. A identidade visual tem a capacidade de transmitir a ideia de uma empresa séria e competente, atributos altamente valorizados por pessoas que buscam os serviços de profissionais da área jurídica.

Sendo classificada como um dos principais elementos da identidade visual, a logo é a representação gráfica daquela marca, e como muitos componentes do mundo jurídico, é regrada pelo Código de Ética da OAB. 

Informações para contato

Mesmo parecendo algo simples, essa seção também conta com algumas regulamentações. Alguns exemplos de informações permitidas que o órgão permite a exibição na fachada são: dados do escritório como áreas de atuação, telefones para contato, e-mail, horário de funcionamento, nome da sociedade, nome dos sócios, e respectivos números de registros na Ordem dos Advogados do Brasil. 

No âmbito de informações proibidas, encontram-se: o uso de frases de efeito comerciais, como por exemplo “satisfação garantida” e “venha conferir”; e a divulgação do serviço advocatício em conjunto com outra atividade, como contabilidade. Lembrando que é permitido a exposição de placas na fachada do escritório, mas outdoors estão fora de questão.

Características recomendadas da fachada

Harmonia

É interessante ressaltar a importância de uma boa pesquisa para colocar os dados de forma legível sem que pareça algo amador, pois caso o cliente não consiga compreender claramente as informações listadas, é grande a possibilidade de desistência.

A fachada deve estar de acordo com o padrão estabelecido na identidade visual, com os dados dispostos de maneira espaçada para uma leitura fácil. Dessa forma, os elementos visuais que fazem parte da marca podem estar conectados e serem facilmente relacionados pelos consumidores, reforçando o reconhecimento rápido da empresa.

Destaque de informações relevantes

É possível (e recomendado) a filtragem dos dados dispostos na fachada do escritório de advocacia, mas algumas informações são absolutamente necessárias para o sucesso da firma. Uma delas é o nome da empresa. Essa informação requer certo destaque, para que qualquer pessoa, mesmo que esteja apenas passando em frente ao estabelecimento, possa identificar do que se trata.

Cores

Um dos componentes mais relevantes na identidade visual, a cor deve acompanhar o teor sério da marca, com tons sóbrios de cinza, preto, branco, verde, bege, azul e amarelo. Algumas empresas optam por fazer a seleção da paleta de cores com base na área de atuação do escritório, o que pode ser interessante para a construção da essência de uma identidade.

O que a OAB diz sobre fachadas de escritórios

Primeiramente, é relevante evidenciar o que o Código de Ética da OAB diz sobre a criação e uso de identidades visuais para advogados e escritórios de advocacia:

“E-4.649/2016 – SÍMBOLOS DA ADVOCACIA – IDENTIDADE VISUAL DOS ADVOGADOS E DAS SOCIEDADES DE ADVOGADO – DISTINÇÕES – VEDAÇÃO DE USO DAQUELES PRIVATIVOS DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DOS OFICIAIS DOS ENTES PÚBLICOS – FIXAÇÃO DE PARÂMETROS ÉTICOS.  Perdeu-se excelente oportunidade, no novo Código de Ética, para regular explicitamente a identidade visual dos advogados, conquanto o legislador, ao contrário, não apenas ficou silente, como excluiu a parte final do artigo 31 do “Codex” anterior que veda ao advogado o uso dos símbolos oficiais e dos que sejam utilizados pela Ordem. Como o próprio Estatuto, Regulamento Geral e Provimento nº 94/2000 também não abordam diretamente a questão da “identidade visual”, apenas considerando como lícitos os meios publicitários compatíveis com a sobriedade da advocacia e que tenham caráter informativo, não mercantilista, os advogados irão encontrar balizamento ético através dos pareceres elaborados pelo Tribunal Deontológico da OAB/SP. Sumulando, pode o advogado, individualmente ou em sociedade, criar sua identidade visual, utilizando, isoladamente ou em conjunto, símbolo (figura gráfica) e logotipo (letras), formando assim sua “assinatura institucional”, desde que de forma discreta, sóbria e com finalidade meramente informativa, não mercantilista, em seus impressos, cartões, placas e demais formas de publicidade permitidos. É vedado o uso dos símbolos e identidade visual exclusivos da OAB, bem como os da União e demais entes públicos, como brasões, bandeiras e congêneres. Os símbolos privativos do advogado, que não se confundem com sua identidade visual, consagrados em nossa jurisprudência interna e na escassa normatização, são apenas a beca, as insígnias que a acompanham, e a balança, ainda que não de uso exclusivo

No que diz respeito especificamente às fachadas, a primeira turma do TED, que segue o princípio da sobriedade, deixa claro que é necessário evitar o uso de componentes muito espalhafatosos, como cores vibrantes, neon, luzes intermitentes e letreiros luminosos que piscam.

Art. 40, Parágrafo único. Exclusivamente para fins de identificação dos escritórios de advocacia, é permitida a utilização de placas, painéis luminosos e inscrições em suas fachadas, desde que respeitadas as diretrizes previstas no artigo 39.

No caso, o artigo 39 mencionado se refere à publicidade na advocacia

Art. 39. A publicidade profissional do advogado tem caráter meramente informativo e deve primar pela discrição e sobriedade, não podendo configurar captação de clientela ou mercantilização da profissão.

Tendências de fachadas

Mesmo que a fachada do escritório tenha uma função primordial de transmitir os valores da empresa, esse elemento não é imune às tendências arquitetônicas. Ter uma estrutura atualizada faz com que seu negócio seja visto como moderno e primoroso, o que traz credibilidade e confiabilidade, desde que coerente com a identidade visual proposta.

Toda a disposição dos elementos, tanto externos quanto internos deve ser feita procurando o bem-estar dos clientes e colaboradores, para criar um ambiente aconchegante onde os fregueses se sintam à vontade e os profissionais possam executar suas tarefas sem preocupações com o próprio conforto. 

Procure sempre manter a linha visual criada pela marca, investindo em elementos que promovam o profissionalismo da empresa, como tons elegantes e que remetam a confiabilidade e seriedade. Caso julgue necessário, procure um profissional da área de arquitetura ou design especializado na criação de projetos que envolvem o ramo jurídico.

Dicas de decoração de um escritório

Como dito incansavelmente nesse texto, é fundamental que todos os elementos relacionados à marca estejam interligados, e isso inclui a decoração do escritório. Enquanto no caso de escritórios de advocacia com uma fachada confusa ou desleixada, poucos clientes se aventuram do lado de dentro, estabelecimentos cujo interior não condizem com a fachada enfrentam outro problema. 

A quebra do padrão estabelecido na entrada faz com que os fregueses se sintam desconfortáveis, como se tivessem sido enganados. Alguns podem até permanecer por não saberem bem como sair daquela situação, mas é provável que a grande maioria opte por não fechar negócio com a empresa, o que significa que também não irão indicá-lo ou retornar ao local.

Como tudo na indústria do comércio, todos os componentes, até os mínimos detalhes, devem ser voltados para o consumidor, com o objetivo de tornar a experiência do usuário naquele espaço a melhor possível. É preciso ser profissional e acolhedor, mas isso não necessariamente quer dizer móveis tradicionais e falta de originalidade.

Escolha móveis confortáveis tanto para os clientes quanto para os profissionais, já que eles serão os que mais utilizam o espaço. Móveis planejados podem auxiliar no aproveitamento de espaço ao mesmo tempo que condizem com o padrão visual criado pela identidade visual. Sempre planeje a localização dos móveis, assim como seu tamanho necessário para atender suas necessidades.

Procure fazer com que o padrão de cores da marca reflita nos móveis e decoração de forma harmônica, criando um ambiente pacífico e aconchegante. Da mesma forma, é importante se atentar à iluminação e ventilação do lugar. Dê preferência à fontes de luz natural e se esforce para que o lugar seja naturalmente ventilado, dando um frescor ao espaço e transmitindo uma sensação de amplitude.

Por fim, adicione os detalhes. Quadros decorativos e alguns certificados podem ajudar a decorar e ao mesmo tempo expor algumas de suas conquistas, mas tudo com moderação, claro. Encher uma parede de certificados pode acidentalmente transmitir uma imagem arrogante. 

A maioria dos escritórios tem preferência por quadros abstratos em tons mais quentes, principalmente quando a cor base das paredes é neutra. Outra boa opção quando se trata da decoração é o uso de plantas para humanizar o ambiente, pois escritórios de advocacia tendem a ser frios e, às vezes, impessoais. Um toque de natureza torna o recinto um pouco mais carismático e receptivo, além de renovar e purificar o ar do local.

Esperamos que com essas explicações e sugestões você se sinta mais seguro ao planejar a fachada do seu escritório. Ficou alguma dúvida? Deixe nos comentários, pode ser o tema do próximo artigo.

[mautic type="form" id="7"]

Receba conteúdos e estratégias atualizadas de Marketing Jurídico gratuitamente!

Sobre o autor
Compartilhe
Oi, Dúvidas sobre Marketing Jurídico?
Suporte 3MIND
Olá, como está?
É um prazer falar com você!!
Qual é sua dúvida?