fbpx

Marketing Jurídico no Facebook: perfil pessoal ou página corporativa?

Guilherme Barbosa

Muitos advogados que estão começando a investir em marketing jurídico têm a mesma dúvida. Uso o meu perfil pessoal para divulgar o meu escritório de advocacia nas redes sociais ou começo uma página exclusiva para o escritório?

Como especialistas em marketing jurídico trazemos algumas vantagens e desvantagens das duas opções para você fazer a sua escolha. O conteúdo foi baseado no vídeo É melhor uma página para o escritório ou a minha pessoal?, disponível em nosso canal no YouTube.

Página do Escritório ou “Company Page”

Antigamente quando a gente começava uma página corporativa no Facebook a possibilidade de alavancar o número de seguidores de maneira orgânica era muito maior. Atualmente o conteúdo entregue, de maneira orgânica, para páginas corporativas no Facebook (como exemplo) fica em torno de 0,3%. Ou seja, se você tem mil seguidores, que para um escritório de advocacia é um número expressivo, você terá aproximadamente 3 pessoas acompanhando o seu conteúdo organicamente, sem investimentos em posts patrocinados.

Por isso, se o seu escritório de advocacia está começando uma estratégia de marketing jurídico do zero, a primeira pergunta que eu faria é: meu escritório precisa estar no Facebook e/ou Instagram? Para responder essa questão é simples, basta entender o seu foco, seja ele direito empresarial ou tributário e a partir daí criar a sua persona, ou seja, o seu público-alvo, o cliente que você quer atingir e por fim, descobrir qual rede social ele usa.

Caso seu cliente não esteja no Facebook, busque outras alternativas como o Linkedin, o Youtube e até plataformas de Podcast. Isso pode te custar muito menos e ter um resultado mais rápido para o seu posicionamento nas redes sociais.

Mas, se o seu cliente está no Facebook, ainda vale a pena sim garantir a sua presença nesta plataforma, uma vez que muitas pessoas pesquisam a reputação de negócios e advogados na rede social como uma forma de referência para o negócio. Neste cenário, caso você não possua verba para posts patrocinados existe a opção do perfil pessoal.

Perfil Pessoal

É comum o advogado já ter muitos contatos/amigos no seu perfil pessoal das suas redes sociais, com isso o número de entrega de conteúdo orgânico no perfil pessoal é muito maior em comparativo  as páginas corporativas. As redes sociais entendem que as pessoas que acompanham os perfis pessoais curtem e comentam as publicações, têm interesse por àquele conteúdo e assim o algoritmo da rede social utilizada tende a mostrar mais esse conteúdo para elas.

O que você irá publicar faz toda diferença! 

Aí que está o pulo do gato, e a dica que temos pra você é, se você é uma pessoa que gosta de entrar em debates e dar sua opinião política e religiosa, cuidado! Esse comportamento pode causar algum ruído com o cliente, pois existem muitas contrariedades de ponto de vista. Por outro lado, se você só publica imagens de sua família e notícias relacionadas a sua profissão ou ao seu escritório de advocacia isso transmite uma imagem tranquila e de credibilidade.

Com isso, fazer do seu perfil pessoal uma página corporativa é o melhor caminho a curto prazo. Muitas empresas, inclusive, têm criado uma personalidade para representar o negócio. Como por exemplo, na 3MIND, eu Guilherme Barbosa sou o porta-voz da empresa na maioria dos canais.

E aí, curtiu mais essa dica? Fique ligado em nossos conteúdos atualizados semanalmente no blog e em nosso canal do YouTube!


Sobre o autor
Guilherme Barbosa

Guilherme Barbosa

Especialista em marketing com ênfase no universo Jurídico. Criador e mentor de novos negócios (startups), e expert em Inteligência analítica e Big Data (PUC-PR). Minha paixão - transformar números, dados e intuições em estratégias eficientes.

Compartilhe

© 2019 3MIND – Todos direitos reservados. Desenvolvido por 3MIND.

Responder
Olá, meu nome é Juliane! 😊

Nós já ajudamos mais de 100 escritórios de pequeno a grande porte a construir sua autoridade.

Como podemos lhe ajudar?