Conteúdos

Como criar um blog jurídico relevante?

Blog Jurídico em produção

Há algum tempo, ter um blog jurídico se tornou quase fundamental para o êxito do escritório de advocacia ou mesmo do advogado autônomo. Porém, a simples existência do site para advogado não é o suficiente, ele precisa ser relevante para o público. Portanto, trouxemos algumas dicas sobre como fazer isso acontecer:

  1. Porque ter um blog jurídico?

Pode parecer dispensável ou até frívolo, mas um blog para sua empresa tem o potencial de alavancar a conexão entre advogado e cliente, fazendo com que a firma seja notada de forma positiva pelo público.

Também é importante esclarecer que não há nada com que se preocupar em relação à ética de se manter um blog jurídico, desde que a página seja meramente informativa, jamais usada para o engrandecimento do advogado. Por exemplo, é apropriado produzir conteúdo sobre revisão de aposentadoria, mas não é adequado falar que o leitor deveria procurar o escritório para conseguir sua revisão. 

Segundo o próprio Tribunal de Ética da OAB/SP, “não há infração ética na redação de textos técnicos, de assuntos relacionados à área de atuação do escritório ou do advogado, desde que, logicamente, se evite a redação de artigos que possam instigar pessoas a litigar, ou que contenham qualquer tipo de auto-engrandecimento, ou quaisquer outras formas de angariação de clientela. Os artigos somente podem ser fornecidos a colegas, clientes, ou pessoas que os solicitem ou os autorizem previamente, nos termos do § 3.º do artigo 29 do Código de Ética e Disciplina da OAB. Pode a internet ser admitida como novo veículo de comunicação eletrônica, mas, por isso, deve respeitar as regras e limites éticos; portanto, está sujeita ao regramento devidamente estabelecido no Código de Ética e Disciplina e no Provimento nº 94/2000 do Conselho Federal da OAB. Se o “site” ou blog sob consulta pretender a oferta de serviços com divulgação profissional, utilizando meios promocionais típicos de atividade mercantil tais como nome fantasia e ofertando serviços de aconselhamento jurídico, com evidente implicação em inculca e captação de clientela, infringirá os artigos 34, II, do EAOAB, 5º, 7º, 28, 29 e 31 “caput” do CED e o art. 4º, letras b, c e l, do Provimento 94/2000. A divulgação de sites com “opinião virtual”, considerando a divulgação indiscriminada que a Internet propicia, não há de ser permitida, mantendo-se a respeito os pronunciamentos desta casa (E-1.435, 1.471, 1.640, 1.759, 1.824, 1.847, 1.877). Precedentes: E-3661/2008, E-2.102/00 e E-3.205/05.

  1. Impacto de blogs jurídicos 

Além de chamar a atenção de novos clientes, um blog ajuda a aprimorar a comunicação da empresa e a melhorar o relacionamento com os clientes, buscando networking e consequentemente fortalecendo a marca. É um espaço onde o advogado pode mostrar os serviços que presta e como o faz, podendo muitas vezes alcançar pessoa que procuram exatamente um dos temas recorrentes do site para advogados.

Ao se destacar na internet, o blog pode criar autoridade, o que facilita a prospecção, fortalece laços profissionais e traz uma imagem de empresa séria e competente, o que deixa os clientes mais seguros para entrar em contato.

  1. Vantagens do Marketing Jurídico

Marketing jurídico pode ser definido como o uso de estratégias planejadas para alcançar objetivos de negócio no ramo da advocacia, ou seja, um conjunto de práticas e ações para alcançar melhores resultados. 

Essas práticas são muito importantes para que os profissionais estejam sempre em contato com seu público alvo. Apesar de algumas restrições, o marketing jurídico conta também com muitos benefícios, como:

  • Passar uma imagem de autonomia e conhecimento sobre o tema, ao produzir textos e conteúdos sobre o mesmo.
  • Divulgação do trabalho de acordo com a lei, pois é um blog informativo, sem propaganda explícita.
  • Contato com o público alvo, pois os assuntos abordados devem ser relevantes aos acontecimentos da atualidade.
  • Imagem de autonomia e autoridade pelo conhecimento e produção de conteúdo próprio.
  • Transmite confiabilidade e segurança ao demonstrar domínio sobre o que é tratado e ao usar exemplos de casos já resolvidos.
  1. O que o SEO afeta no blog jurídico

A sigla, que deriva do inglês “Search Engine Optimization”, define um conjunto de práticas especificamente desenvolvidas para beneficiar a visibilidade do site ou página, com o objetivo de melhorar a posição do site nos mecanismos de busca, aumentando a divulgação e o tráfego orgânico. 

Esse tráfego orgânico é composto por pessoas que utilizam ferramentas de pesquisa como o Google, Bing, Yahoo e outros, e preferem ignorar os anúncios, clicando nos resultados gratuitos que a plataforma disponibiliza. Portanto, essa metodologia tem como base o uso de palavras-chave para que a página possa entrar no ranking que a plataforma de busca produz.

Mais da metade dos usuários do Google acessam somente os 5 primeiros resultados, o que ilustra a importância do SEO, que traz resultados regulares a médio e longo prazo, diferente dos anúncios pagos, que contam com resultados imediatos porém só funcionam enquanto houver investimento.

Um ponto que muitos esquecem, é que além do destaque dentre os concorrentes e o aumento de acessos que o SEO pode gerar, essa metodologia pode ser útil em pesquisas por localização, caso a firma possua um endereço cadastrado na plataforma de busca. Esse simples dado pode fazer o escritório despontar nas pesquisas por área, fazendo com que pessoas que buscam serviços locais se interessem pela página.

Mesmo que seja baseado nos requisitos do Google, o SEO não ignora os clientes. A metodologia procura proporcionar uma boa experiência ao usuário, trazendo vários pontos a serem aplicados com relação à usabilidade do site.

Para saber mais sobre SEO para advogados e estratégias Rumo ao Topo do Google inscreva-se no curso da 3MIND.

  1. O que você precisa para criar um blog jurídico

Antes de pôr mãos à obra, é necessário ter consciência de alguns pontos.

  • Conheça seu público-alvo. É essencial entender o que sua clientela procura, para que o conteúdo produzido seja relevante para eles.
  • Tenha uma identidade visual apropriada. Apesar de ser o primeiro ponto de contato com os consumidores, a identidade visual é erroneamente ignorada ou desconsiderada com frequência. Muitos não percebem que uma identidade bem construída afeta a imagem inteira da empresa, podendo transmitir a ideia de seriedade logo à primeira vista.
  • É importante ter telefone e e-mail (profissional) para contato e disponibilizá-los no site, caso o leitor queira tirar dúvidas diretamente com o responsável ou até contratar os serviços.
  1. Definindo o tipo de conteúdo a ser criado

Mesmo que o objetivo seja criar um blog no modelo tradicional, é prudente ponderar outras opções, e se possível escolher mais de uma, para aumentar o alcance de público para a companhia. A produção de conteúdo pode assumir diversos formatos, dentre eles artigos, podcasts, vídeos, ebooks e infográficos. Todos esses podem ser usados para atrair público, tornando o site mais relevante.

Uma boa forma de definir o conteúdo a ser abordado nas publicações é anotando as perguntas que os clientes fazem frequentemente, para assim criar uma base de temas relevantes. Essa simples fonte pode sanar dúvidas e ajudar outras pessoas, o que resulta em uma conexão com o leitor.

  1. Conteúdos mais comuns

Mesmo que o conteúdo deva ser focado no público-alvo do blog, é preciso ter algumas cartas na manga, como assuntos comumente abordados ou temas mais escolhidos pela concorrência. Dentre os tópicos que mais chamam atenção do público estão questões relacionadas à explicação de leis, direito previdenciário, dívidas, direito imobiliário e outros. 

Manter-se atualizado sobre notícias e sempre que possível produzir algo relacionado a leis e processos que estão sendo muito procurados é indispensável.

E é fundamental, sempre que possível, fazer referência à experiências que teve dentro de sua área de atuação, o que humaniza o blog e faz com que os usuários possam ver como é o trabalho e criar uma conexão com o advogado.

  1. Como criar um blog jurídico

Apesar de técnicas de SEO serem gratuitas, ter um blog jurídico que se destaque pode não ser caro, mas não é de graça. É preciso registrar domínio próprio, que custa em torno de 30 reais ao ano. 

Manter um blog demanda tempo e foco, mas acima de tudo, persistência. Não é de um dia para o outro que o site irá aparecer no topo do Google, mas quanto maior a dedicação aplicada ao site, mais rapidamente será possível perceber os resultados, afinal, a melhor publicidade para a empresa é uma presença online de qualidade.

Após registrar o domínio, é interessante contratar uma hospedagem. Existem diversas opções dos mais variados preços, e o próprio Google oferece o serviço de graça. Feito esse passo, é hora de montar o blog. É fácil encontrar plataformas que oferecem inúmeras opções para essa fase. Com o blog pronto, é interessante separar algum tempo para estudar as técnicas de SEO e Google Analytics, para mais tarde poder aplicá-las no site. Assim que esse trajeto esteja feito, é hora de começar a produzir o conteúdo.

É importante ressaltar que nem só de texto vive o advogado. Procure destinar algum tempo e recursos a outros tipos de conteúdo, sejam eles podcasts, vídeos, ou qualquer outro. Mais um ponto relevante é a necessidade de se manter sempre atualizado, para poder abordar assuntos gerais e específicos que condizem com a realidade de seus clientes

Uma boa maneira de dar início às postagens do blog é redigindo um texto âncora, também conhecido como Pilar Page, para que no futuro outros artigos que mencionam o assunto possam ser direcionados a essa matéria.

  1. Aplicando técnicas de SEO no blog

Com o site pronto e conteúdo definido, é preciso começar a planejar as técnicas a serem aplicadas na postagem. Algumas práticas simples e eficientes são:

  • URLs amigáveis

Por vezes subestimada, a URL de um site tem grande importância na experiência do usuário, e precisa ser acessível, sem elementos aleatórios que a tornem difícil de ler ou interpretar. Uma URL amigável transmite seriedade e confiabilidade, além de permitir ao usuário prever o assunto abordado no blog apenas ao olhá-la.

  • Site responsivo

Há uma grande diferença entre site mobile e site responsivo. Mobiles são aqueles projetados para alguns tipos específicos de aparelhos, com dimensões predefinidas. Já o site responsivo se adapta à qualquer tipo e resolução de tela, melhorando exponencialmente a usabilidade do site.

  • Link building

Considerado pelo Google um dos aspectos mais importantes no ranqueamento de resultados por gerar autoridade, essa prática consiste em ter links, tanto no próprio blog quanto em outros sites, que direcionam o leitor a determinada página. Por isso é prudente ter um texto âncora, para que logo no início já seja possível construir uma linha de referência dentro do blog, prolongando o tempo que o usuário passa no site e mostrando outros conteúdos que possam interessá-lo

  • Tópicos e outros elementos

Procure utilizar tópicos no texto, para que o leitor não perca o interesse ou se assuste ao encontrar um bloco de texto sem respiro. Além disso, é benéfico fazer uso de imagens e outros recursos visuais com o mesmo objetivo

  • Conteúdo

Priorize sempre a qualidade do conteúdo criado, verificando suas fontes e escrevendo um texto íntegro. Um artigo completo pode ser longo, mas pode ser considerado mais relevante, aumentando suas chances de ficar em uma boa posição nos resultados. Além disso, priorize sempre a escolha de uma boa palavra-chave para basear o texto.

  1. Dicas para manter seu blog relevante

Como não basta ter as técnicas aplicadas, é preciso manter o site relevante. Por isso, preparamos mais tópicos, dessa vez com algumas dicas e sugestões para manter o blog relevante com o passar do tempo e não deixar o número de acessos cair.

  • Foque sempre na usabilidade e experiência do usuário. Cliente feliz sempre volta.
  • Produza sempre conteúdo de qualidade. Esse é um dos fatores principais para o ranqueamento do Google
  • Mantenha uma boa relação com outros sites e blogs, e se possível, procure ser mencionado por sites confiáveis. Isso aumentar muito a autoridade da página.
  • Reinvente conteúdos. Caso uma postagem esteja antiga e com poucos acessos, procure fazer um vídeo ou podcast com o assunto, para que esse tema volte à mente dos leitores
  • Tenha uma boa presença nas redes sociais. Elas ajudam a alavancar o blog
  • Mantenha a regularidade das postagens
  1. A influência das redes sociais no engajamento do blog jurídico

Após a criação do blog e formulação do conteúdo com base nas técnicas de SEO, as redes sociais podem ser uma ótima forma de impulsionar o que foi produzido, redirecionando clientes para o site e criando um rush de acessos.

Se você chegou até aqui, não tem desculpas para não criar (ou turbinar) seu blog jurídico agora mesmo. Dúvidas? Conta pra gente nos comentários.

[mautic type="form" id="7"]

Receba conteúdos e estratégias atualizadas de Marketing Jurídico gratuitamente!

Sobre o autor
Compartilhe
Oi, Dúvidas sobre Marketing Jurídico?
Suporte 3MIND
Olá, como está?
É um prazer falar com você!!
Qual é sua dúvida?